bortolotto-image
Escrito por helder no Abril 18, 2018 em Blog

Um dos pontos cruciais para uma boa gestão financeira diz respeito aos métodos de registro e análise dos lançamentos de entrada e saída de valores financeiros. Essa análise pode ser feita por meio de dois métodos: o regime de caixa e regime de competência.

Entender a diferença entre os dois é fundamental para tomar decisões no presente, planejar o futuro e dar um salto na qualidade de gestão da sua empresa. Neste artigo, você vai conhecer as características e diferenças de cada regime. Acompanhe!

Regime de caixa

O regime de caixa é o método mais simples e mais fácil de ser implementado. Nele, o registro só é feito quando ocorre uma movimentação de entrada ou saída de dinheiro. Sua finalidade é controlar o fluxo de caixa, o que entrou e o que saiu de dinheiro.

Ele funciona da seguinte forma: se a empresa realizou uma compra parcelada, as parcelas só serão computadas na data do pagamento, mês a mês, assim como as vendas parceladas também serão computadas a cada recebimento, sem considerar o exato momento em que foram realizadas.

Regime de competência

Já no regime de competência, o registro ocorre na data em que a compra ou venda foi realizada, independentemente do pagamento ou recebimento. Esse evento é chamado na contabilidade de registro da ocorrência na data do fato gerador.

Assim, as despesas e receitas têm os valores registrados dentro do mês em que ocorreu o fato gerador. Se for realizada uma venda a prazo, por exemplo, ainda que não tenha entrado um centavo sequer, a receita será computada e a empresa terá de pagar os impostos referentes à venda, mesmo sem ter recebido.

Vantagens e desvantagens de cada regime

Regime de caixa

  • vantagem: ele é mais simples e demonstra exatamente o que a empresa tem em caixa, permitindo o gerenciamento da liquidez (capacidade de honrar os compromissos). Se a empresa não receber suas vendas, o imposto também deixa de ser devido;
  • desvantagem: dificuldade para mensurar o resultado operacional da empresa. Inclusive, a diferenciação das operações à vista e a prazo (dependendo do volume) pode ficar confusa. Há ainda o risco de pagar impostos em duplicidade ou não pagar.

Regime de Competência

  • vantagem: demonstrar a rentabilidade do negócio, possibilitando uma visão panorâmica da estrutura financeira. Por meio do Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE) é possível obter informações para planejar investimentos, cumprir as exigências legais, ter maior controle na gestão fiscal dos impostos e corrigir ações para o crescimento da empresa;
  • desvantagem: não considerar a real situação do caixa da empresa, visto que no DRE podem constar receitas e despesas ainda não pagas, obrigando a empresa a adquirir dívidas desnecessárias e ainda ter que arcar os impostos, enquanto nem recebeu do cliente.

Exemplos de lançamentos caixa x competência

Para exemplificar os lançamentos em cada regime, imagine a seguinte hipótese: a empresa comprou um equipamento no valor de R$ 5.000,00 em janeiro e pagará em duas parcelas com vencimentos em fevereiro e março (30 e 60 dias):

  • regime de caixa: registro da 1ª parcela de R$ 2.500,00 em fevereiro por ocasião do pagamento e registro da 2ª parcela de R$ 2.500,00 em março também por ocasião do pagamento;
  • regime de competência: registro do valor do equipamento (R$ 5.000,00) na data do fato gerador (data da compra em janeiro), independentemente do pagamento.

Cada um dos métodos na gestão financeira

É importante ressaltar que tanto o regime de caixa quanto o regime de competência são ferramentas complementares na gestão financeira e não opostas. Portanto, as informações devem ser analisadas pelas duas perspectivas, pois os dois regimes têm a finalidade de informação e controle.

Enquanto o regime de caixa proporciona uma visão do fluxo de caixa, reconhecendo os riscos de falta de liquidez, o regime de competência oferece uma visão global das finanças, permitindo que os gestores tomem decisões para o aperfeiçoamento ou correção de rumos.

O regime de competência é obrigatório para as empresas optantes pelo Lucro Real, mas nada impede as empresas do Lucro Presumido e Simples Nacional de também fazerem uso desse método.

E então, entendeu a diferença entre regime de caixa e regime de competência? Ficou alguma dúvida sobre o assunto? Deixe seu comentário. Estamos disponíveis para ajudar.

 

Deixe seu comentário

Veja também