bortolotto-image
Escrito por helder no Abril 18, 2018 em Blog

A gestão de riscos é um processo importante a qualquer organização que esteja em busca de crescimento e expansão. Apenas a partir do rígido acompanhamento de cenários e fatores é possível tomar rápida ação frente a novas demandas empresariais e de mercado.

Neste post, você conhecerá um pouco mais sobre o que é gestão de riscos e saberá por que ela é tão importante na rotina da organização. Além disso, terá dicas valiosas para tornar o processo uma prática recorrente na sua empresa, potencializando o desenvolvimento do negócio. Preparado? Vamos lá!

O que é gestão de riscos e qual é a importância para a sua empresa

Por definição, gestão de riscos é um processo de monitoramento e controle dos fatores passíveis de afetar a organização. A partir do acompanhamento conciso e contínuo desses pontos, o gestor pode desfrutar de mais segurança para tomar as decisões estratégicas do negócio.

No senso comum, o termo “risco” evoca uma conotação prioritariamente negativa, mas no contexto da gestão é possível abarcar na expressão também as oportunidades que despontam no horizonte da empresa. O risco, portanto, deve ser compreendido como tudo aquilo que pode interferir negativa ou positivamente nos resultados da organização.

Ao contar com uma política de gestão de riscos, a empresa se certifica de estar atenta ao panorama que a cerca, identificando com mais velocidade os fatores que podem comprometer ou alavancar sua performance — e agindo com rapidez de forma a minimizá-los ou aproveitá-los.

Fica logo evidente, então, a importância de contar com processos consistentes para gerir os riscos que circundam a atividade operacional da sua empresa. Nenhuma organização está imune ao risco e, por isso, todos os gestores devem estar conscientes de seu papel de liderança na avaliação do contexto mercadológico e social.

Somente ao reconhecer a gestão de riscos como um processo de valor competitivo é possível extrair todos os benefícios da prática.

Como implantar uma política de gestão de riscos

Agora que você já está convencido de que adotar processos voltados à gestão contínua dos riscos é importante para fazer seu negócio crescer, chegou o momento de adicionar mais prática à discussão: de que forma é possível aplicar os conceitos às atividades cotidianas, aproveitando as oportunidades e minimizando a possibilidade de prejuízos diante dos riscos?

Identifique e classifique

Concentre-se em levantar riscos internos (aqueles que estão dentro da organização, como equipe desmotivada e tecnologia de ponta) e externos (aqueles que estão fora do seu controle imediato, como desastres ambientais e redução da taxa de juros), classificando-os de acordo como positivos ou negativos.

Para essa análise, não perca de vista quais são os objetivos do seu negócio.

Avalie a probabilidade de ocorrência e o possível impacto

Uma vez levantados, examine caso a caso qual é a possibilidade de que os riscos se tornem realidade.

Após isso, esclareça com cautela qual será o impacto dessa transformação. Se necessário (probabilidade alta, impacto alto) parta para a elaboração imediata de um plano de ação.

Trate (elimine-os ou aproveite-os)

Se precisa eliminar ou pode aproveitar os riscos, aja rápido! O mercado é dinâmico e não costuma perdoar atrasos. Trate os riscos com atenção, mas não perca a agilidade ao minimizar prejuízos ou agarrar oportunidades de desenvolvimento.

Monitore

É crucial que a gestão de riscos seja um processo continuo. Não é porque uma vulnerabilidade foi eliminada que a avaliação constante deve cessar. Enquanto gestor, você deve ter plena consciência da importância de controlar fatores de risco e de estar sempre atento à necessidade de movimentar-se proativamente para contê-los ou aproveitá-los.

Vale reforçar, por fim, que a gestão de riscos é mais do que uma atividade isolada. Para além das análises do contexto mercadológico e social (uma vez que o fator humano também representa riscos proeminentes), as percepções obtidas devem dar suporte às decisões estratégicas do negócio. Ou seja: são fundamentais para que a empresa cresça de modo sustentável e perene, conquistando seus objetivos de curto, médio e longo prazos.

Gostou do conteúdo? Então assine nossa newsletter e seja sempre o primeiro a receber as novidades!

Deixe seu comentário

Veja também