Posts

Entenda o que é elisão fiscal e como sua empresa pode usufruir disso

Você já parou para pensar se é possível economizar, de forma legal, nos tributos de sua empresa? Pois saiba que isso é uma realidade — e seu negócio pode ter grandes benefícios com essa prática.

Neste post, você vai entender o que é a elisão fiscal, os tipos de elisão, empresas que podem fazê-la e outras particularidades para que você possa planejar essa economia para sua organização. Acompanhe!

O que é elisão fiscal

A elisão fiscal é uma prática legal que auxilia na economia da tributação de uma empresa. Esse conceito é bastante diferente do conceito de evasão fiscal. A evasão — ou, ainda, sonegação — ocorre quando a empresa paga menos tributos ou deixa de recolher valores aos cofres públicos sem justificativas, ou seja, é ilegal.

A elisão fiscal está inserida dentro de um conceito mais amplo, que é o de planejamento tributário. Dessa forma, uma empresa pode ter economias consideráveis relacionadas a tributos de diversas maneiras, indo desde a sua constituição até a troca do regime tributário e o aproveitamento de vantagens em determinadas circunstâncias.

Entendimento dos tipos de regimes tributários

Caso a empresa ainda esteja em fase de abertura, ela já pode economizar com a elisão. Ocorre que o planejamento tributário poderá ser executado com base no tipo de atividade ou no volume de negócios. A partir disso, será definido qual o melhor regime tributário para o negócio.

Simples é uma das opões mais comuns para micro e pequenas empresas, sendo amplamente utilizado pelas facilidades que apresenta. Entretanto, somente um planejamento adequado poderá indicar se o melhor para a empresa será esse regime ou o Lucro Presumido, que é outro tipo de tributação.

Já para empresas maiores e com algumas atividades específicas, o Lucro Real também se apresenta como opção, porém, com metodologia bastante complexa. Assim, entender a melhor opção e escolher uma que se adeque à organização pode gerar economias importantes do ponto de vista fiscal.

Trocar o regime tributário

Outra grande sacada do planejamento e das possibilidades de economia que a elisão fiscal oferece é a troca de regime tributário. Isso pode ocorrer por mudança de atividade, crescimento do volume de operações ou por outro motivo que leve à necessidade de adequação.

Aqui entra novamente o olhar de um profissional da área, que fará estudos baseados no histórico da empresa, em suas projeções e outros dados. Com base nisso, ele vai ajudar o negócio e economizar, decidindo qual o regime que permitirá pagar menos impostos de forma legal.

Evitar o fato gerador

A elisão também pode auxiliar a empresa a evitar o fato gerador. Isso ocorre com ações legais, como, por exemplo, a distribuição de lucros aos sócios em vez de pagamento de pró-labore. Nesse tipo de operação, evita-se o pagamento de IRRF e INSS.

Correto recolhimento e envio das obrigações

A elisão também poderá auxiliar no correto reconhecimento e envio das obrigações. Isso permite que a empresa economize de forma adicional, já que deixar de enviar ou cometer erros pode levar ao pagamento de multas, juros e outros problemas administrativos.

Empresas que podem fazer a elisão

Qualquer empresa pode fazer elisão fiscal, entretanto, trata-se de uma matéria complexa e que possui particularidades devido ao intrincado sistema tributário brasileiro. Assim, para evitar erros e pagamento de multas, é preciso buscar a ajudar de profissionais com conhecimentos amplos na área.

Neste post, você viu que a elisão é um processo legal que permite economias tributárias para uma organização. É uma decisão inteligente e que pode ser feita por qualquer empresa, podendo ocorrer em sua criação ou em qualquer momento de sua vida.

Existem outras formas eficientes de economia tributária, porém, só um planejamento tributário efetivo, feito por profissionais experientes, poderá encontrar a melhor solução para sua empresa.

Agora, que tal baixar nosso e-book “Guia para PMES: Tudo o que você precisa saber sobre impostos” e entender ainda mais sobre impostos?

Entenda o que é contabilidade de custos e por que se preocupar com isso

A contabilidade está cada vez mais presente no cotidiano das empresas. Fonte de inúmeras informações, é por meio dela que os gestores têm suporte para tomar decisões assertivas na gestão dos negócios.

Uma das áreas da contabilidade é a contabilidade de custos. Você sabe o que é ela? Entende como ela influencia diretamente nos resultados da sua empresa?

Neste artigo, você entenderá o que é contabilidade de custos, descobrirá as suas principais informações e verá como ela é importante para a tomada de decisões. Continue lendo!

1. O que é contabilidade de custos?
Sendo uma das funções da contabilidade mensurar os fatos ocorridos, a contabilidade de custos não foge desse parâmetro. Trata-se de uma área da contabilidade que calcula os gastos ocorridos na produção de bens ou serviços.

De uma forma mais objetiva, todo valor desembolsado para obter matéria-prima, mão de obra, entre outros itens, é alvo da contabilidade de custos.

De posse dessas informações, os gestores passam a ter subsídio para uma otimização dos resultados, de forma ágil e imediata.

2. Quais são os tipos de custos?
Basicamente, a contabilidade de custos possui dois tipos de custos:

Custos diretos: são todos os valores que estão diretamente ligados à produção de um bem ou à prestação de um serviço.
Exemplo: em uma fábrica de chocolate, o cacau, o recheio e a embalagem são todos custos diretos, pois, a cada produto fabricado, um custo é gerado.

Custos indiretos: são os valores que não estão ligados diretamente aos produtos ou serviços.
Exemplo: são os gastos com equipe de marketing, com equipe financeira, entre outros.

Em alguns casos, os custos indiretos terão de ser rateados, pois podem envolver mais de um setor. Dessa forma, seus custos ficarão devidamente alocados aos setores pertinentes.

3. Qual é o objetivo da contabilidade de custos?
Ao interpretar os dados que a contabilidade de custos fornece, é possível tomar decisões importantes para a saúde financeira da empresa.

Com ela, o gestor saberá exatamente qual é o custo total de produção. Da mesma forma, saberá analisar separadamente os custos de cada setor. Essas informações permitirão a formação do preço de venda e, com ele, o estudo da margem de lucro.

4. Qual a importância da contabilidade de custos?
Diante de um mercado tão competitivo, saber analisar os custos e formar um preço de venda igualmente competitivo, sem que isso prejudique os resultados da empresa, é de suma importância.

Aplicar a contabilidade de custos de forma correta é vantajoso para a empresa porque analisar, registrar e monitorar são requisitos importantes para o processo gerencial da organização.

É claro que, quando essas atividades são centralizadas apenas no gestor, isso pode sobrecarregá-lo diante de todos esses procedimentos. Por isso, é preciso manter uma equipe contábil capacitada e responsável, que forneça todas as informações contábeis gerenciais necessárias para obter os resultados almejados.

A contabilidade de custos é apenas uma das áreas que dão suporte para a tomada de decisões e, quando as informações geradas por ela são corretamente administradas e aplicadas, a empresa só tem a ganhar.

Agora que você já sabe o que é contabilidade de custos e como ela é aplicada dentro de uma empresa, assine a newsletter e continue recebendo informações importantes para a sua organização!

Tabela CFOP: o que é e qual a sua funcionalidade?

Gestores que buscam otimizar processos devem sempre manter-se informados quanto às atividades desempenhadas pelo seu negócio. E, por mais que se domine a própria área de atuação, há sempre alguma operação sobre a qual permanecem dúvidas acerca de sua funcionalidade. Por isso, hoje vamos esclarecer o que é a tabela CFOP.

Se você é contribuinte do IPI ou do ICMS, provavelmente você já observou essa sigla em notas fiscais, mas pode ser que não tenha compreendido qual a finalidade do código que acompanha a sigla. Continue a leitura e entenda o que significam os números do código.

O que é a tabela CFOP?

Primeiramente, CFOP é a sigla para Código Fiscal de Operações e Prestações. Ou seja, o CFOP é um código que indica qual a procedência e destino da circulação de uma mercadoria ou serviço de transporte em transações intermunicipais e interestaduais.

Dessa forma, por meio da tabela CFOP, é possível consultar o código emitido em qualquer documento fiscal e determinar sua origem e procedência. Essa tabela também indicará se a operação em questão deve ou não recolher impostos.

O código deve ser indicado em todos os documentos fiscais que tratem da entrada ou saída de mercadorias, bens ou serviços. Logo, os códigos indicando movimentação devem ser inscritos nas notas fiscais, livros fiscais, arquivos magnéticos, conhecimentos de transporte e outros documentos determinados por exigência legal.

Um CFOP é formado por quatro dígitos, sendo o primeiro o identificador para o tipo de operação de entradas ou saídas.

Entradas:

  • 1.000 – entrada de produtos ou serviços do estado;
  • 2.000 – entrada de produtos ou serviços de outros estados;
  • 3.000 – entrada de produtos ou serviços de outros países.

Saídas:

  • 5.000 – saída de produtos ou serviços para o estado;
  • 6.000 – saída de produtos ou serviços para outros estados;
  • 7.000 – saída de produtos ou serviços para outros países.

Qual a sua funcionalidade?

A criação da tabela CFOP é antiga, data de 15 de dezembro de 1970, instituída pelo Convênio SINIEF S/N. Contudo, a tabela já passou por muitos ajustes e, desde janeiro de 2003, passou a operar com 4 dígitos.

Basicamente, a funcionalidade da tabela CFOP consiste em gerar mais transparência e facilidade na transmissão de informações ao Fisco. Isso facilita a cobrança devida e justa de impostos e evita equívocos.

Além disso, a identificação por grupo do código facilita a gestão, auxiliando no controle de pedidos e produtos em estoque, reduzindo as perdas por falta ou excesso. Isso pode ser realizado em um procedimento burocrático ao se vincular o preenchimento de uma nota fiscal para um sistema interno de gestão.

Como registrar compras e entradas?

Normalmente, o código CFOP da nota fiscal enviada pelo fornecedor será iniciado pelo número 5 ou 6. Porém, ao cadastrar essa nota no seu sistema, ela pode não ser aceita.

Isso acontece porque os números 5 e 6 indicam uma operação de saída, feita pelo fornecedor. Logo, se você recebe uma mercadoria ou um serviço para registro, você deve inscrevê-lo como uma operação de entrada usando um código iniciado pelo número 1 ou 2.

Por exemplo, se você adquire um produto cujo código de saída emitido pelo fornecedor é 5.101, para registrar a entrada do produto, você provavelmente deverá inscrevê-lo com o CFOP 1.101.

A tabela CFOP completa com a lista de códigos e suas aplicações pode ser acessada no portal do Conselho Nacional de Política Fazendária do Ministério da Fazenda.

Muitas empresas, para agilizar procedimentos como estes ligados à tabela CFOP e outros que tratam de impostos e contribuições, optam por terceirizar setores — como o da contabilidade. Se sua empresa considera a possibilidade de terceirização desse setor, não deixe de conferir nosso artigo com 5 fatores a se considerar antes de contratar um escritório.

5 benefícios de contratar uma empresa de contabilidade para o seu negócio

Dos últimos anos para cá, a figura dos escritórios de contabilidade passou a representar mais do que apenas aquele pessoal que cuida do pagamento de impostos e relatórios financeiros. Contratar uma empresa de contabilidade, hoje, pode ser a diferença no caminho para o sucesso da sua empresa.

Por isso, hoje vamos apresentar os 5 principais benefícios de contratar uma empresa para cuidar da contabilidade do seu negócio. Leia e entenda por que é importante ter profissionais cuidando da sua contabilidade.

1. Planejamento tributário e financeiro

Uma empresa de contabilidade profissional tem a expertise necessária para saber como melhor organizar suas finanças com base em exatamente quais impostos e tributos devem ser pagos para cada ação.

Como essa área é complexa, contar com uma empresa especializada vai garantir que os profissionais possuam informações atualizadas sobre o que é devido e como calcular o valor a ser pago para cada imposto. Além disso, há também as questões de direito e contabilidade tributária, que sempre podem ajudar a poupar recursos gastos com cobranças indevidas.

Com os impostos em dia e os pagamentos organizados, a contabilidade poderá também realizar um planejamento financeiro mais preciso para um período extenso. Um bom plano ajuda a prever como o caixa da empresa se comportará e fornece informações para importantes mudanças de estratégia.

2. Regularização para obtenção de crédito

Contar com uma empresa de contabilidade vai poupar tempo e dor de cabeça com preocupações em relação à situação cadastral da empresa nos diversos órgãos dos quais ela depende.

Uma das primeiras atividades desempenhadas pela empresa de contabilidade será a regularização cadastral do seu negócio: CNPJ, Inscrição Estadual, Inscrição Municipal, Previdência Social, etc. Outra atividade fundamental é a atualização e produção dos Demonstrativos Contábeis.

Com essas informações atualizadas, os bancos terão uma visão transparente e confiável da situação financeira da companhia. E, como muitos negócios não as fornecem ao pedirem crédito bancário, isso será um diferencial para conseguir um empréstimo justo com taxas de juros vantajosas.

3. Segurança jurídica

Uma das maiores causas de prejuízo nas companhias são questões judiciais que consomem muito tempo e dinheiro da organização nos tribunais. Portanto, uma boa empresa de contabilidade sempre conta com um departamento jurídico que manterá regularizada toda a documentação do seu negócio.

Isso pode poupá-lo de muitos problemas legais. Afinal, com os registros organizados, sempre que precisarem ser usados como prova judicial, seja em processos tributários, trabalhistas ou de litígio, não haverá problemas para utilizá-los.

4. Distribuição de lucros isentos de impostos

Muitos empresários não sabem, mas, quando apurado pela escritura contábil, o lucro distribuído aos sócios é isento de impostos. Quando não há escrituração contábil, o valor é limitado com base na presunção de lucro, conforme o artigo 15° da Lei 9.249/1995.

Como muitos não solicitam a escrituração contábil, essa má gestão impacta a maneira como o Imposto de Renda da Pessoa Física será declarado pelos sócios, tributando inadequadamente rendimentos individuais.

5. Atualização do valor da empresa

Para fechar negócios melhores e transmitir autoridade, uma empresa precisa ter esse valor sempre atualizado. Contudo, para cada caso, muitos aspectos influenciam esse cálculo.

Uma das vantagens de se contratar uma empresa de contabilidade é justamente ter o cálculo sempre atualizado. Ele é muito importante não só no caso de venda de ações, mas também para fechar contratos e regularizar documentos.

Existem, basicamente, três formas de realizar esse cálculo: pelo Fluxo de Caixa Descontado, pelos Múltiplos de EBTIDA e pelo valor patrimonial. Cada um ilustra um aspecto financeiro da empresa refletindo o seu “tamanho” ou valor total.

Quando o assunto é contabilidade possuir as informações corretas e contar com um planejamento coerente e bem-feito trará uma visão diferenciada para a tomada mais qualificada de decisões.

Essas informações ajudam a poupar recursos, aumentar o potencial de lucro, elevar a reputação e prever tendências para o mercado.

Além de contratar uma empresa de contabilidade, um bom administrador deve sempre estar atualizado quanto aos procedimentos, legislação e novidades do mercado. Então, para encontrar as melhores informações sobre contabilidade e ajudar no desenvolvimento da sua empresa siga a Bortolotto no Facebook e confira nossos conteúdos!

Gestão de riscos: entenda o que é e saiba como colocar em prática

A gestão de riscos é um processo importante a qualquer organização que esteja em busca de crescimento e expansão. Apenas a partir do rígido acompanhamento de cenários e fatores é possível tomar rápida ação frente a novas demandas empresariais e de mercado.

Neste post, você conhecerá um pouco mais sobre o que é gestão de riscos e saberá por que ela é tão importante na rotina da organização. Além disso, terá dicas valiosas para tornar o processo uma prática recorrente na sua empresa, potencializando o desenvolvimento do negócio. Preparado? Vamos lá!

O que é gestão de riscos e qual é a importância para a sua empresa

Por definição, gestão de riscos é um processo de monitoramento e controle dos fatores passíveis de afetar a organização. A partir do acompanhamento conciso e contínuo desses pontos, o gestor pode desfrutar de mais segurança para tomar as decisões estratégicas do negócio.

No senso comum, o termo “risco” evoca uma conotação prioritariamente negativa, mas no contexto da gestão é possível abarcar na expressão também as oportunidades que despontam no horizonte da empresa. O risco, portanto, deve ser compreendido como tudo aquilo que pode interferir negativa ou positivamente nos resultados da organização.

Ao contar com uma política de gestão de riscos, a empresa se certifica de estar atenta ao panorama que a cerca, identificando com mais velocidade os fatores que podem comprometer ou alavancar sua performance — e agindo com rapidez de forma a minimizá-los ou aproveitá-los.

Fica logo evidente, então, a importância de contar com processos consistentes para gerir os riscos que circundam a atividade operacional da sua empresa. Nenhuma organização está imune ao risco e, por isso, todos os gestores devem estar conscientes de seu papel de liderança na avaliação do contexto mercadológico e social.

Somente ao reconhecer a gestão de riscos como um processo de valor competitivo é possível extrair todos os benefícios da prática.

Como implantar uma política de gestão de riscos

Agora que você já está convencido de que adotar processos voltados à gestão contínua dos riscos é importante para fazer seu negócio crescer, chegou o momento de adicionar mais prática à discussão: de que forma é possível aplicar os conceitos às atividades cotidianas, aproveitando as oportunidades e minimizando a possibilidade de prejuízos diante dos riscos?

Identifique e classifique

Concentre-se em levantar riscos internos (aqueles que estão dentro da organização, como equipe desmotivada e tecnologia de ponta) e externos (aqueles que estão fora do seu controle imediato, como desastres ambientais e redução da taxa de juros), classificando-os de acordo como positivos ou negativos.

Para essa análise, não perca de vista quais são os objetivos do seu negócio.

Avalie a probabilidade de ocorrência e o possível impacto

Uma vez levantados, examine caso a caso qual é a possibilidade de que os riscos se tornem realidade.

Após isso, esclareça com cautela qual será o impacto dessa transformação. Se necessário (probabilidade alta, impacto alto) parta para a elaboração imediata de um plano de ação.

Trate (elimine-os ou aproveite-os)

Se precisa eliminar ou pode aproveitar os riscos, aja rápido! O mercado é dinâmico e não costuma perdoar atrasos. Trate os riscos com atenção, mas não perca a agilidade ao minimizar prejuízos ou agarrar oportunidades de desenvolvimento.

Monitore

É crucial que a gestão de riscos seja um processo continuo. Não é porque uma vulnerabilidade foi eliminada que a avaliação constante deve cessar. Enquanto gestor, você deve ter plena consciência da importância de controlar fatores de risco e de estar sempre atento à necessidade de movimentar-se proativamente para contê-los ou aproveitá-los.

Vale reforçar, por fim, que a gestão de riscos é mais do que uma atividade isolada. Para além das análises do contexto mercadológico e social (uma vez que o fator humano também representa riscos proeminentes), as percepções obtidas devem dar suporte às decisões estratégicas do negócio. Ou seja: são fundamentais para que a empresa cresça de modo sustentável e perene, conquistando seus objetivos de curto, médio e longo prazos.

Gostou do conteúdo? Então assine nossa newsletter e seja sempre o primeiro a receber as novidades!

Terceirizar a contabilidade ou ter um profissional interno?

O contador é um profissional indispensável dentro de todas as empresas nas quais os empreendedores buscam atender à legislação. Por isso, terceirizar a contabilidade ou ter um profissional interno que faça esses serviços é uma questão que traz muitas dúvidas aos empresários.

Para responder a esses questionamentos, é necessário avaliar critérios importantes, como o excesso de tarefas burocráticas, as mudanças na legislação contábil, além da complexidade, do tamanho e do alto custo de manter contadores trabalhando dentro da empresa.

Se você tem dúvidas sobre terceirizar ou contratar profissionais do ramo contábil para trabalhar dentro de sua empresa, acompanhe este post: elencamos as principais vantagens da terceirização desse setor.

Maior eficiência ao terceirizar a contabilidade
Por atuarem de fora da empresa, os profissionais terceirizados de contabilidade prestam um serviço especializado, sem interferência de outros setores e sem desviar as atenções de seus objetivos. Além de sua larga experiência na área fiscal e tributária, esses profissionais vão direto ao ponto e solucionam os problemas com agilidade e eficiência.

Em contrapartida, os funcionários da própria empresa que trabalham na área fiscal geralmente vêm de uma oportunidade de crescimento. Eles ainda podem estar em fase de aprendizado ou aperfeiçoamento, o que pode colocar em risco os resultados. Bom, é desnecessário dizer que isso não ocorre se você recorre à terceirização.

Diminuição dos custos
Ao optar pela terceirização contábil, a empresa também consegue fazer uma economia de gastos; isso devido ao fato de não ter vínculo empregatício com os profissionais e pagar apenas pelos serviços prestados.

Por outro lado, com funcionários dedicados ao setor, os empreendedores vão arcar com os diversos encargos trabalhistas e previdenciários, tais como:

salários;
férias;
gratificação;
FGTS;
INSS.
Por isso, vale a pena contratar serviços terceirizados nessa área.

Compromisso
Face à existência de um contrato assinado e cláusulas estipulando penalidades em casos de atraso nos trabalhos, a empresa terceirizada é obrigada a manter todas as obrigações tributárias em dia. Para alcançar esse objetivo, ela agiliza todas as operações burocráticas da empresa.

Enquanto os empregados que trabalham vinculados a empresa também são cobrados por suas tarefas, mas você vai ter que lidar com problemas como absenteísmo, turnover e produtividade baixa, próprios da gestão interna de RH.

Espaço otimizado
Os contadores trabalham no escritório contábil pelo qual são contratados, o que traz otimização do seu espaço. Por não precisar de um departamento específico para as apurações fiscais, com mesa, computador e outros móveis indispensáveis, você dispõe de mais espaço e infraestrutura para dedicar às áreas estratégicas da empresa.

Tranquilidade
Deixar os serviços contábeis, fiscais e tributários aos cuidados de uma empresa especializada traz — aos empreendedores de pequeno, médio e grande porte — certa tranquilidade. Eles podem se preocupar com as prioridades do seu negócio, pois sabem que as tarefas ligadas às burocracias fiscais estão sendo realizadas da melhor maneira possível.

Entretanto, a contratação pelo regime da CLT traz uma série de preocupações internas —- desde as questões trabalhistas até os controles de produtividade, já citados.

Enfim, terceirizar a contabilidade, do ponto de vista financeiro e operacional é a melhor opção para as empresas. Você contrata uma equipe de profissionais especializados nas diversas áreas contábeis, e não apenas um contador. Assim, sua empresa soluciona seus problemas rapidamente e reduz a possibilidade de erros tributários.

Agora que você entende melhor sobre terceirizar a contabilidade, entre em contato conosco e veja quais são os serviços disponibilizados aos empresários!

Regularização fiscal: como a contabilidade pode ajudar a sua empresa?

Pelo fato das quantidades de taxas e burocracias no que se refere à fiscalização e tributação pelos órgãos públicos, manter a regularização fiscal de uma empresa não é uma tarefa fácil, por isso, é muito importante que as empresas prestem bem atenção no momento de recolherem os impostos devidos.

Uma falha nas obrigações fiscais de uma empresa pode gerar em aplicações de penalidades, multas, além de prejudicar a gestão do negócio. Por isso, ter o apoio profissional de um contador é essencial.

Se você desejar saber a importância do auxílio da contabilidade na sua empresa e como um contador pode te ajudar a evitar problemas com o fisco, continue lendo o nosso post.

Para que serve um contador?

O contador é o profissional especializado em realizar cálculos dos tributos devidos ao Governo. Também é responsável pelo planejamento e cumprimento das obrigações fiscais da empresa.

O auxílio de um contador faz toda a diferença na gestão do seu negócio. A seguir vamos fazer uma lista com os principais motivos. Acompanhe!

Assegurar a regularidade fiscal da empresa

O contador tem a função de garantir que a empresa esteja regular diante do fisco, por isso ele tem o dever de cumprir com todas as obrigações tributárias (acessórias e principais), garantindo essa regularidade.

A falta de cumprimento das obrigações pode gerar penalidades em sua empresa, como a multa, além da irregularidade fiscal.

Garantir a atualização das Certidões Negativas de Débitos – CNDs

A empresa tem como obrigação o recolhimento dos impostos municipais, estaduais e federais. Dessa forma, é importante que a empresa possua as seguintes certidões negativas: certidão de regularidade fiscal municipal, estadual e federal, certidão da Receita Federal certidão de débitos da previdência social (INSS), certidão de regularidade em relação ao FGTS, dentre outras.

A ausência das CNDs poderá levar sérios prejuízos ao seu negócio, como: negativas de empréstimo pelos Governo, levando a empresa a ter que pedir empréstimo a bancos privados com taxas de juros mais elevadas, impedimentos para participar de processos licitatórios, dentre outros.

Evitar erros de cálculos e atrasos no pagamento de tributos

O contador evita o atraso nos pagamentos das obrigações fiscais, prevenindo as empresas dos pagamentos de juros e multas que podem ocorrer mediante a falta ou atraso do pagamento de alguns impostos.

Os erros de cálculos também podem gerar complicações e prejuízos para a empresa, além de evitar que as certidões negativas de débitos sejam geradas a favor da empresa.

Possibilitar conformidade com a legislação vigente

Uma assessoria contábil eficiente está sempre atualizada às constantes atualizações da Lei Tributária brasileira, evitando débitos da empresa junto aos órgãos fiscais.

A falta de compreensão e interpretação da lei vigente podem levar ao advento de débitos inesperados.

Conseguiu identificar o diferencial que a contratação de uma empresa de contabilidade pode propiciar a sua empresa?

O auxílio de uma empresa de contabilidade para a segurança e regularização fiscal da sua empresa, é de suma importância. Uma assessoria contábil eficaz controlará toda a contabilidade fiscal, ajudando no crescimento da sua empresa.

O seu negócio ficará em dia com as obrigações fiscais e as Leis Tributárias vigentes, além de diminuir os prejuízos com os juros e as multas desnecessárias!

Você gostou deste texto? Aproveite a visita para assinar a nossa newsletter!

Portfolio Items